Atirador mata cinco pessoas e comete suicídio em Orlando nos EUA

in Notícias/Policial by
GERARDO MORA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

O xerife da Polícia do condado de Orange, na Flórida, EUA, Jerry Demmings, informou que um homem, ex-funcionário de uma empresa de Orlando, foi ao local onde trabalhava e matou cinco pessoas antes de cometer suicídio nesta segunda-feira. Segundo as autoridades locais, outras sete vítimas escaparam do ataque.

“O indivíduo, de 45 anos, era um ex-funcionário desta empresa que foi demitido em abril”, declarou Demmings durante uma coletiva de imprensa, descartando neste momento qualquer ligação com o terrorismo. “Não temos pistas que indiquem que o sujeito fazia parte de alguma organização terrorista”, explicou. “Provavelmente foi um incidente violento em local de trabalho”.

 

To recap: 3 men, one woman killed by lone shooter at business on Forsyth Rd. One man died at ORMC. Shooter killed himself. Seven survivors.

 

Pelo Twitter oficial do escritório do xerife, as autoridades informaram que o atirador agiu sozinho e cometeu os crimes usando uma arma e uma faca. Ele matou três homens e uma mulher no local. Outra vítima do sexo masculino morreu no hospital. Os crimes ocorreram por volta das 08H00 (11H00 de Brasília).

O xerife indicou que a empresa em questão fabricava acessórios para carros. Em junho de 2014, a polícia foi chamada porque o homem responsável pelo tiroteio nesta segunda havia agredido um outro empregado. No entanto, nenhuma acusação foi registrada contra ele.

O atirador tinha pequenas condenações por posse de maconha e delitos de violência.

 

Sheriff Demings on scene of tragic shooting with multiple fatalities. Getting briefing. Will address media shortly.

 

 

Em junho de 2016, a cidade de Orlando foi palco de um tiroteio em uma boate frequentada pela comunidade gay, que deixou 49 mortos e dezenas de feridos. Cidadão americano de origem afegã, o autor do massacre havia prometido fidelidade ao grupo Estado Islâmico (EI) durante o tiroteio.

Com informações da AFP